Arquivo da tag: mulheres

Com o tema “Fazendo a diferença” e uma série de palestrantes renomados, a segunda edicão do Womens Forum Brasil chega as São Paulo nos dias 17 e 18 de junho. Saiba Mais lendo o texto abaixo:

Depois do sucesso da primeira edição do evento Women ?s Forum Brazil, o Women ?s Forum for the Economy and the Society anuncia a segunda edição da conferência, a ser realizada em São Paulo, nos dias 17 e 18 de junho, no Grand Hyatt Hotel.
O Fórum deve reunir 500 dos principais homens e mulheres do País. O tema será: “Fazendo a diferença”. “A segunda edição do Women ?s Forum Brazil será uma oportunidade de analisar como as mulheres que ocupam postos de liderança no Brasil devem protagonizar mudanças sustentáveis no País, e como o consistente networking entre os principais homens e mulheres do Brasil e de outros países pode fazer a diferença”, explicou Véronique Morali, Presidente do Women ?s Forum for the Economy and the Society.
Hoje, os palestrantes confirmados incluem Beth Brooke, Vice-Presidente Global de Políticas Públicas da Ernst & Young; Tania Braga e Fernando Cotrim, do Comitê Organizador da Rio 2016; Celina Borges Torrealba Carpi, Membro do Conselho do Grupo Libra (uma das maiores operadoras portuárias da América Latina); Alyse Nelson, Presidente e CEO da Vital Voices Global Partnership; Jacqueline Pitanguy, Fundadora e Diretora da CEPIA, uma das principais organizações brasileiras para a proteção dos direitos das mulheres; Sonia Regina Hess de Souza, Presidente e CEO da Dudalina; e Albina Ruiz, fundadora da Cuidad Saludable, uma inovadora organização peruana em administração ambiental e reciclagem.
Ao lado de promotores da boa governança, investimento social e direitos das mulheres, esses palestrantes e participantes da conferência devem explorar meios para criar benefícios sustentáveis com a intensa exposição internacional do Brasil durante a Copa do Mundo de 2014 e a RIO 2016. Eles discutirão com executivos a futura onda de mulheres em conselhos de administração e postos executivos de alto escalão. As perspectivas brasileiras serão complementadas por palestrantes internacionais de renome, que possuem experiência das melhores práticas em seus países.
Novidade em 2013: oficinas direcionadas e mesas redondas com um número limitado de participantes oferecerão orientação prática para carreiras e liderança, com sessões sobre o “Fator Maternidade”, questões de compliance em grandes empresas, retenção de talentos em posições de destaque, e também sobre saúde, mulheres e estresse (para obter o programa completo e atualizado, visite www.womens-forum.com).

Women ?s Forum Brazil 2013
“Fazer a diferença”
17 a 18 de junho – Grand Hyatt Hotel, São Paulo
Segunda-feira, 17 de junho – das 14.00h às 22.30h Terça-feira, 18 de junho – das 9.00h às 17.45h
GUARDE ESTA DATA!

Uma pesquisa  realizada pela FNQ com 30 finalistas e vencedoras da etapa Estadual do Prêmio  SEBRAE Mulher de Negócios revelou que 97% das empresárias acreditam que o País  propicia grandes oportunidades aos empreendedores. Para as entrevistadas, o  governo enxerga as pequenas empresas como prioridade e tem tomado medidas para  auxiliar a abertura de novos negócios, segundo 60% das respondentes. Ainda de  acordo com a pesquisa, 70% das empreendedoras disseram que a temática dos novos  negócios tem sido cada vez mais discutida pelo poder público por meio de  incentivos para a abertura de empresas de pequeno porte no Brasil.

O  levantamento também mostrou que, além de incentivos nacionais realizados para  ampliar o a participação dos pequenos negócios na economia, o estado em que está  situado o negócio também é importante para o desenvolvimento de uma nova  empresa. Para 70% das empresárias, os esforços estaduais, que ocorrem por meio  de ações de incentivos e parcerias com entidades privadas e públicas têm tornado  o empreendedorismo possível.

Segundo Jairo  Martins, superintendente-geral da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ), é  fundamental a participação do Estado e da sociedade na adoção de medidas que  ampliem o papel das pequenas empresas na economia do País, melhorando a sua  gestão e impactando na sua competitividade. “As micro e pequenas empresas ainda  enfrentam dificuldades em adotar planejamentos, realizar análises de cenários e  medir resultados, fatores que seriam resolvidos com a adoção de um modelo de  gestão, visando aumentar sua competitividade e garantir maior longevidade”, acredita.

 

Preocupação com a gestão

O estudo  também constatou que 93% das entrevistadas costumam buscar conhecimento sobre  seus clientes com frequência, tendo em vista implantar ações que possam ser  úteis para o seu público-alvo. Cinquenta e três por cento consideram que o nível  de conhecimento sobre o seu cliente é alto, enquanto, 43% acreditam que este  nível de informação é mediano. Outra questão apontada na pesquisa é a  preocupação com o Meio Ambiente: o levantamento revelou que 80% das  entrevistadas possuem atividades relacionadas ao meio ambiente na sua empresa.  Já 90% apontaram que realiza ações sociais, entre elas, atividades que envolvem  a comunidade local.

O  levantamento foi realizado com empresárias que disputaram a etapa Nacional do  Prêmio SEBRAE Mulher de Negócios, premiação voltada a empreendedoras brasileiras  cujos negócios têm faturamento anual de até R$ 3,6 milhões e tem como objetivo  identificar, selecionar e premiar os relatos de vida de empresárias que  transformaram seus sonhos em realidade e são exemplos para outras mulheres. O  Prêmio é realizado pelo SEBRAE, Secretaria Especial de Políticas para as  Mulheres (SPM), Federação das Associações de Mulheres de Negócios e  Profissionais do Brasil (BPW Brasil) e Fundação Nacional da Qualidade  (FNQ).

Sobre a  FNQ

Criada em 1991, a  Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) é uma instituição sem fins lucrativos que  incentiva as empresas a buscar a excelência da gestão e reúne as melhores  práticas de organizações brasileiras, independente do porte ou setor. Ao  disseminar o Modelo de Excelência da Gestão® (MEG) e promover a capacitação de  profissionais, a FNQ auxilia as empresas na implantação de um programa  permanente de excelência da gestão, que gera resultados concretos para toda a  organização. Desta maneira, contribui com o aperfeiçoamento do negócio e,  consequentemente, o aumento da competitividade das empresas. Como reconhecimento  a essa busca pela excelência, a FNQ promove o Prêmio Nacional da Qualidade® (PNQ), que identifica e premia anualmente as melhores práticas de gestão das  organizações brasileiras.

Nos últimos cinco anos, aumentou em 15% o número de mulheres que alcançaram cargos de sócia e diretora na KPMG no Brasil. A ocupação de posições de liderança pelas executivas é um dos objetivos do KNOW (KPMG’s Network of Women), grupo de mulheres líderes da KPMG, que é composto por 48 sócias e diretoras da empresa e tem como principal objetivo valorizar a atuação e a integração das mulheres à empresa.

O trabalho de ampliar o espaço das mulheres dentro das empresas vem sendo feito desde a criação do KNOW que tem como objetivo disseminar o papel da mulher no mundo corporativo e discutir a questão da presença delas no ambiente de trabalho e de negócios. A KPMG também incentiva a participação feminina em todos os setores e cargos da empresa. Essa evolução começou em 2011 quando o número de funcionárias mulheres começou a aumentar gradativamente e hoje alcança 44% do total de funcionários.

A decisão de incentivar a liderança das mulheres na KPMG no Brasil antecipa uma tendência já é uma realidade que vem sendo colocada em prática por companhias no mundo todo. Recentemente, a União Europeia divulgou que pretende exigir que as empresas, com mais de 250 funcionários, cotadas em bolsa reservem 40% dos cargos não executivos em seus conselhos para as mulheres até 2020. Quem não cumprir a decisão, poderá ser multado ou proibido de assinar contrato com as empresas do bloco.

 

Sobre o KNOW

O KNOW tem a missão de posicionar a KPMG como Employer of Choice para as mulheres, incentivando seu desenvolvimento na carreira, rede de relacionamento com lideranças corporativas, bem como a participação em outros grupos de mulheres. Aqui no país, ele busca estimular que um número cada vez maior de profissionais venha a ocupar posições de liderança na organização.

Entre as iniciativas do grupo está a inauguração, no ano passado, de duas salas de apoio à amamentação que funcionam dentro da firma em São Paulo e servem como centros de apoio às mães recentes, que retornam ao trabalho após a licença maternidade. O KNOW desenvolve outras iniciativas como o Programa de Apoio à Maternidade, pelo qual uma executiva integrante do grupo fica responsável por acompanhar a gestante desde o início da gravidez até o bebê completar um ano, para dar orientações e auxílio para o desenvolvimento de sua carreira e para conduzir da melhor forma o período de adaptações necessárias à nova fase de vida, como mãe e profissional.  Além disso, a empresa está desenvolvendo um projeto de mentoring para as executivas, na condução de um processo estratégico no desenvolvimento de suas carreiras profissionais.

Sobre a KPMG

A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory presente em 152 países, com 145.000 profissionais atuando em firmas-membro em todo o mundo. As firmas-membro da rede KPMG são independentes entre si e afiliadas à KPMG International Cooperative (“KPMG International”), uma entidade suíça. Cada firma-membro é uma entidade legal independente e separada e descreve-se como tal.

No Brasil, a empresa tem aproximadamente 4 mil profissionais distribuídos em 20 cidades de 11 Estados e Distrito Federal.

Twitter: twitter.com/@KPMGBRASIL

Site: kpmg.com/BR

Paola Tucunduva conversa com Eduardo Ohara Morita, Diretor de Desenvolvimento e Negócios do Grupo Ornatus, e Silvia Chen Yung, franquada da Morana, sobre os segredos das mães empreendedoras para obterem melhores resultados no comando das franquias.

Mesmo com a dúvida “maternidade ou carreira” que sempre divide a mulher em algum momento da vida, de acordo com pesquisa da consultoria Rizzo Franchise, 48% das franquias são comandadas por mulheres na faixa dos 36 a 45 anos e unidades de franquias comandadas por mulheres faturam 34% mais e têm rentabilidade 26% superior.

Segundo a pesquisa, “as mulheres estão a frente de negócios de todos os tipos, desde oficinas mecânicas, postos de gasolina, saúde
& beleza, vestuário & acessórios, e alimentação”. E a principal razão para o sucesso feminino no setor é que as mulheres tendem a se adaptar melhor aos padrões estabelecidos pelas franquias e são mais organizadas”.

 

Mande suas dúvidas para paola@almadonegocio.tv

 

Lançado em 2008 pela Goldman Sachs e pela Goldman Sachs Foundation, 10.000 Mulheres é uma iniciativa filantrópica global que irá dar educação em administração e gestão de negócios a 10.000 mulheres de áreas carentes em todo o mundo, e ajudar a melhorar a qualidade da educação empresarial nos países em desenvolvimento.

Como parte da iniciatva 10.000 Mulheres da Goldman Sachs, a FGV – EAESP, em parceria com o IE Business School, concebeu um programa que irá proporcionar às participantes os conhecimentos e ferramentas que elas precisam para ter sucesso no competitivo mercado global de hoje. O programa é coordenado pelos professores Maria José Tonelli e Tales Andreassi

Assista a entrevista que Paola Tucunduva realizou com o professor Tales Andreassi sobre o programa das 10.000 Mulheres

A chave para a metodologia do programa é a aprendizagem colaborativa através de diversas atividades, incluindo orientações online. As participantes também têm acesso a tutoria e mentoring, eventos de networking e fóruns abertos que lhes permitirão se conectar, aprender e trocar ideias.

Participe! Essa é a sua chance para crescer profissionalmente!

Mais informações e inscrições pelo site oficial www.10000mulheres.com.br

10 de outubro de 2012

#FicaDica: Tenha uma saúde ROSA

Na correria do dia a dia, nós mulheres empreendedoras, muitas vezes esquecemos de cuidar de nossa saúde.

O mês de outubro é marcado pela campanha de prevenção ao Câncer de Mama , um movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa

O fica dica desta é para você reservar um tempo e iluminar sua saúde com a cor ROSA. De que maneira ?

  • Marque uma consulta médica e faça todos os exames que estão pendentes.
  • Inicie uma atividade física.
  • Tire um tempo para relaxar a mente e o corpo,
  • Reveja seus hábitos alimentares.
  • Tome água, muita água !

Quer contribuir com uma das campanhas que acontecem neste mês, de Outubro Rosa? Acesse: http://bit.ly/Qix150

Mande sua foto e declare seu amor a VIDA!

Beijos de saúde ROSA,

Lênia Luz
Diretora de Comunicação do Empreendedorismo Rosa
www.empreendedorismorosa.com.br

Recebemos nos nossos estúdios Maxime Tarneaud – Country manager da Cartier no Brasil e Thereza Bukowe – fundadora do BolsaCheia e única brasileira selecionada no Cartier Awards para um bate papo  sobre oportunidades, networking, empreendedorismo feminino e mercado de luxo.

Durante a entrevista Maxime nos contou que a Cartier tem o desejo de fomentar o empreendedorismo feminino no Brasil e que já estudam maneiras para facilitar a participação das brasileiras no Cartier Women’s Initiative Awards.

Para quem não conhece, o Cartier Women’s Initiative Awards é um concurso internacional de projetos de negócios criado em 2006 pela Cartier em conjunto com o Women’s Forum, McKinsey & Company e a escola de negócios INSEAD para identificar, apoiar e incentivar projetos inovadores liderados por mulheres empreendedoras.

Thereza falou sobre sua  experiência como finalista do concurso, as portas que se abriram com o novo títulos e a importância de participar de projetos como o Cartier Awards.

Aproveitando a presença do Maxime também conversamos sobre o mercado de luxo no país e a chegada da Cartier, empresa francesa que produz objetos de luxo, no Brasil.

Assista agora mesmo a entrevista na íntegra!

Perguntas podem ser feitas através dos comentários abaixo. Mande a sua!

 

 

O atual cenário econômico mundial destaca a influência e posição das mulheres frente a decisões altamente estratégicas no contexto corporativo, social e familiar. As disparidades de gênero tem sido o palco de diversas discussões e atualmente existem sinais de grandes avanços neste campo. No Brasil e América Latina as mulheres ainda possuem um grande desafio na busca de suas posições e, portanto, é importante que existam ambientes que propiciem apoio às mulheres que possuem um perfil voltado para os papéis profissionais e sociais.

A CK Eventos e a Domínio Eventos percebendo a carência de oportunidades de discussões e aprendizado para estas mulheres, elaboraram o Fórum Mulheres em Destaque que tem como objetivo ser a maior plataforma de discussão para o aprimoramento da carreira da mulher executiva com foco voltado para networking e experiências práticas.

Serão dois dias num ambiente totalmente voltado para discutir soluções e desafios do posicionamento da mulher executiva e suas influências no processo evolutivo da sociedade como um todo. O evento tem ainda como missão estimular a troca de idéias e experiências de mulheres que estão impactando seus núcleos profissionais.

As palestras são focadas na educação corporativa e os temas deste ano são: Empreendedorismo, Coaching, Etiqueta Corporativa, Gestão e Retenção de Talentos Femininos, Produtividade, Trabalho em Equipe, Liderança e um Talk Show sobre experiências de sucesso.

Nesta 2ª edição, o “Fórum Mulheres em Destaque” programa uma homenagem às Mulheres que se destacaram na última década: As Grandes Influenciadoras.

Reserve os dias 24 e 25 de outubro de 2012 para fazer parte do mais importante evento que impactará sua carreira e propiciará uma nova visão profissional.

 Mais informações :  www.forummulheresemdestaque.com.br

Atrás apenas da China e dos Estados Unidos, o Brasil possui 27 milhões de pessoas envolvidas em um negócio próprio ou na criação de um. Em números absolutos, aparece em terceiro lugar no ranking de 54 países analisados pela pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2011 (GEM), realizada anualmente e fruto de uma parceria entre o Sebrae e o Instituto Brasileiro da Qualidade e Produtividade (IBQP).

Dos 27 milhões de empreendedores brasileiros, mais da metade, 14,4 milhões, têm entre 25 e 44 anos. Outros 3,4 milhões têm até 24 anos. Seis milhões estão na faixa de 45 a 54 anos, e 3,3 milhões têm mais de 55 anos.

A renda mensal obtida por metade dos empreendedores chega a, no máximo, três salários mínimos. Um terço deles fatura entre três e seis salários mínimos e menos de 15% tira mais de seis salários mínimos por mês com o próprio negócio.

Oportunidade e necessidade

No Brasil, desde 2003 os empreendedores por oportunidade são maioria, sendo que a relação oportunidade X necessidade tem sido superior a 1,4 desde o ano de 2007.

Em 2011 o Brasil novamente supera a razão de dois empreendedores por oportunidade para cada empreendedor por necessidade, o que já havia ocorrido em 2008 e novamente em 2010.

Em 2011, para cada empreendedor por necessidade havia outros 2,24 que empreenderam por oportunidade. Este valor é semelhante à média dos países que participaram do estudo este ano, que foi de 2,2 empreendedores por oportunidade para cada um por necessidade.

A pesquisa constata que no país os negócios são iniciados mais porque os empreendedores detectam uma oportunidade de negócio. Para cada empresa aberta porque o trabalhador teve a necessidade de investir em um negócio próprio, outras 2,24 são iniciadas devido à visão do empreendedor, que enxergou uma oportunidade no mercado.

 Gênero

A mulher brasileira é historicamente uma das que mais empreende no mundo. No Brasil as mulheres atingiram a quarta maior TEA dentre todos os 54 (cinquenta e quatro) países participantes da pesquisa em 2011.

Em 2011, entre os empreendedores iniciais, 51% são homens e 49% mulheres, mantendo o equilíbrio entre gêneros no empreendedorismo nacional.

Faixa etária

Em 2011 verificou-se que a faixa etária que tem a maior concentração de empreendedores iniciais é aquela que vai dos 25 aos 34 anos. Dentre os empreendedores estabelecidos a faixa etária com maior concentração é a de 45 a 54 ano.

Isto quer dizer que entre os brasileiros com idades entre 25 e 34 anos, 4,9 milhões estavam envolvidos em algum empreendimento em 2011.  Dentre os empreendedores estabelecidos, cerca de 3,6 milhões estão na faixa etária de 45 a 54 anos.

 

Autor: Sebrae / IBQP / FGV
Fonte: Sebrae

 

26 de junho de 2012

Marketing é… Por Nísia Teles

Buscando mais informações sobre o blog Empreendedorismo Rosa encontramos este rico artigo escrito por Nísia Tele. No artigo Nísia deixa transparecer o sentimento de carinho que tem pela área e como ela enxerga algumas ações isoladas, ditas ações de marketing, feitas pelo mercado.

Marketing é…

Existem diversas definições e opiniões sobre o que é o marketing, mas para mim o mais importante é a evolução do marketing. Por este motivo, tenho como guru um dos grandes mestres do marketing, Philip Kotler, que tem os livros mais lidos sobre o tema, adotados e traduzidos em todo o mundo. Uma de suas definições de marketing que mais gosto é a seguinte:

“Marketing é a arte de criar valor genuíno para os clientes. É a arte de ajudar os clientes a tornarem-se ainda melhores.”

Pra mim essa definição consegue traduzir o que é verdadeiramente o marketing. Algo que muitos profissionais ainda não conseguiram entender 100%, e talvez por isso insistam em falar que o marketing é “antiético”, que o marketing é baseado em campanhas agressivas na mídia, entre outras opiniões.

O marketing de verdade é muito mais que campanhas e anúncios imediatistas, é muito mais que uma propaganda em jornal, é muito mais que um cartão de visita bonitinho.

Você deve responder às seguintes perguntas antes de realizar qualquer ação de marketing em seu negócio:

Estou sendo original na minha proposta?

Não seja mais um no meio da multidão, procure o seu diferencial. Seja única! E não tenha medo de ser diferente. Tem uma frase de Jonathan Davis que é ótima: Vocês riem de mim por que sou diferente, eu rio de vocês porque são todos iguais.

Este projeto vai acrescentar na vida das pessoas que estou me comunicando?

Não faça algo só para se promover puramente, fortaleça sua imagem fazendo algo que acrescente na vida das pessoas. Algo que você pode contribuir de uma forma positiva para a sociedade e o mundo.

Que tipo de ações posso realizar para tornar meu cliente uma pessoa melhor?

Saia da caixa, pense de maneira diferente, leia e observe tudo à sua volta. Atualmente existem diversos exemplos de empresas que fazem este marketing ético e do bem. Empresas de mulheres que fizeram a diferença e trouxeram um novo jeito de se fazer marketing.

Um sorriso rosa pra você!

Nísia Teles é co-fundadora do blog Empreendedorismo Rosa junto com Lênia Luz, nossa convidada do dia 28/06.

Fonte: Empreendedorismo Rosa