Arquivo da tag: Comunicação

Paola Tucunduva fala sobre os pilares da comunicação de sucesso e porque acontecem tantos ruídos nas relações entre as pessoas. 20/08

Muito se ouve falar que vivemos em uma sociedade em que somos bombardeados por discursos, dados, textos, sons, imagens de forma veloz e dinâmica. Muitos chamam esse momento de “Era da informação”, mas você já parou pra pensar quantas são as informações que estão envolvidas em um processo de comunicação?

Ficou confuso com a pergunta? Hora de relembrar as diferenças entre Informação e Comunicação. A informação está ligada ao ato de transmitir um conhecimento, dado ou opinião com relação a algo. Por sua vez, a comunicação está ligada a troca de conteúdos, ou seja, ela implica em uma relação, em uma interação e permite que os envolvidos com a informação deem feedbacks.

Transferindo isso para o universo empresarial, convidamos você a fazer a seguinte reflexão: você tem proporcionado espaço para que seus públicos se comuniquem com sua empresa ou simplesmente tem informado a eles o que está fazendo, sem dar espaços para opiniões ou questionamentos?

Em um mundo cada vez mais competitivo em todos os sentidos, atrair a atenção de alguém ou de um grupo torna-se um desafio cada vez maior.  Como você quer ser ouvido pelos públicos se não ouve o que eles têm a dizer e faz com que eles se sintam parte dos projetos realizados? Compartilhamos abaixo algumas dicas de ferramentas que proporcionam essa relação de troca com os públicos da empresa:

- Eventos – O processo de comunicação interpessoal ainda continua sendo o mais eficaz para alinhar percepções, obter feedbacks e comunicar posicionamentos. Sugerimos a você que escolha um tema sobre o qual tem domínio e que tenha relação com o seu negócio e organize um evento voltado ao público de clientes, prospects e parceiros. No evento, você pode falar um pouco sobre esse tema e abrir espaço para que os participantes comentem suas experiências. Será uma forma de compartilhar conhecimentos e estreitar o relacionamento.

Não consegue organizar um evento nesse momento? Que tal então convidar algumas das pessoas com quem deseja estreitar relacionamento para participar de uma palestra ou curso com você?

- Ligações/E-mails para compartilhar “boas novas” – Quem não gosta de ser surpreendido com uma novidade que tenha sinergia com seu negócio? É sempre muito bom quando encontramos ou conversamos com alguém que traz conteúdos diferentes e que estão de acordo com nossa percepção de mundo. Sugerimos então que você esteja atento ao mercado de seus clientes e à economia como um todo; por exemplo, você tem um cliente do ramo de seguros e encontra uma notícia dizendo que esse segmento terá uma considerável alta na economia. Que tal fazer uma ligação ou mandar um e-mail compartilhando esse conteúdo, perguntando um feedback dele sobre a notícia e demonstrando de que forma pode ajudá-lo a aproveitar esse potencial de crescimento? De quebra, você ainda aproveita o contato para divulgar alguma promoção.

- Campanhas que incentivam o compartilhamento de ideias – Você não se sente bem quando um amigo influente e inteligente vem de pedir um conselho ou uma indicação sobre algo? Isso demonstra que ele se importa com a sua opinião e você tem prazer em ajudar. Transferindo isso pra o universo empresarial, muitas empresas estão solicitando a colaboração dos clientes em seu processo de criação. A Fiat, por exemplo, foi manchete de vários veículos de comunicação ao permitir que os consumidores construíssem junto com ela o design do Fiat Mio. Você não precisa ir tão longe, mas pode, por exemplo, convidar seus clientes e colaboradores a darem sugestões sobre a capa de sua página no facebook, sobre temas de artigos ou notícias que eles queiram ver em seu site ou mesmo criar um programa de ideias que bonifique de alguma forma os consumidores e funcionários que colaborarem com sugestões viáveis para melhorar o seu negócio.

Emilio Odebrecht, fundador do famoso grupo Odebrecht dizia: “Comunicação é mais que informação; informação subsidia, atualiza, nivela conhecimento. A comunicação sela pactos e educa”. Quem não quer estabelecer uma relação de parceria e confiança com os públicos da empresa? Para isso, é fundamental abrir espaço para a interação e estar disposto a aprender com seus clientes, colaboradores e fornecedores. Pense nisso!

Para saber outras dicas acesse www.greatgroup.com.br

Paola Tucunduva entrevistou Cornélia Benesche no Programa Alma do Negócio.

Cornélia Benesch Bonenkamp, tem mais de 12 anos de experiência com Constelação Sistêmica e falou sobre os principais fatores que garantem, ou não, o sucesso de um relacionamento.

Sua comunicação é consciente? Seus pensamentos são facilmente influenciados pelo meio ou você consegue através da fala, gestos e atitudes comunicar aquilo deseja?

Que para ser um líder é preciso ouvir não é mais novidade, mas como ouvir? Existe técnica para escutar o outro?

Assista, e ouça, a entrevista acima! Suas relações podem mudar.

Quer ser ouvido também?! Então deixe seu comentário sobre os nossos programas ou envie críticas e sugestões através do espaço abaixo.

 

Clareza na comunicação e otimismo são, aparentemente, assuntos desconexos. Mas ambos são importantes e devem orientar suas atitudes e decisões. Em primeiro lugar, a clareza. Trabalhe sempre com a luz acesa. As coisas devem ser feitas e ditas às claras. Subterfúgios, opacidades e meandros linguísticos só servem para diminuir a credibilidade de quem os usa e enfraquecer sua argumentação ou processo decisório.

Na dúvida, acenda a luz. Não trabalhe na penumbra. Seja claro sem ser descuidado, fale com franqueza sem ser rude, seja transparente sem ser grosso. Hoje, as comunicações são rápidas, curtas e frias. Usamos excessivamente SMS e e-mail, em geral escritos às pressas e sem reflexão adequada. São um convite à falta de clareza. Ao apoiar-se nos meios eletrônicos, evite ser mal interpretado. Seja objetivo, evite a superficialidade e não abra mão da transparência.

Eu sei que você está pensando “mas e a reciprocidade?”. Pois é. Ao agir com a luz acesa, você estabelece a regra do jogo, e leva o outro lado a ser claro também. O otimismo é outra importante virtude para a construção de uma carreira. É a velha imagem do copo com líquido pela metade. Ele está meio cheio ou meio vazio? Veja o lado bom, a parte cheia do copo.

Olhar para a vida com um olhar crítico, porém otimista, consistentemente positivo, tornará suas críticas construtivas. Ter esse dom de ver o copo meio cheio faz com que o ambiente à sua volta se transforme, pois os outros param para melhor tentar entender a situação. Quem sempre vê o copo meio vazio vive se lamentando que tudo é culpa dos outros. O indivíduo pessimista acaba sendo uma pessoa sem espaço, sem ressonância entre os pares e os superiores. Também pudera! Quem só vê o lado negativo fica negativo.

É claro que não estou falando de falta de senso de realidade, da incapacidade de diagnosticar corretamente os problemas. Estou falando de postura positiva contra aquela atitude que destrói valores, que inibe o crescimento e paralisa a inovação. Experimente a combinação de agir com a luz acesa e ver o copo meio cheio. Essa é a atitude do profissional que pode ser capaz de construir equipes, fazer alianças e estruturar parcerias.

Quem trabalha dessa maneira torna- se respeitado por seu comportamento, além de ser admirado por seus resultados. No fundo, no fundo, esses são, mesmo, dois requisitos fundamentais para quem quer se tornar um líder.

Fonte: Você S/A

Atualmente existem vários meios de comunicação entre empresa e cliente. E a internet nos permite também o contato virtual com uso das mídias sociais. Mas como obter sucesso e efetividade com este meio? Como e quando utilizar para falar com o seu público?

Confira alguns tópicos que te ajudarão a entender como se beneficiar com este canal de comunicação:

1- Identifique os canais que seu público costuma utilizar
2- Relacionamento pessoal como resultado do contato virtual
3- Utilize as redes sociais com cautela

Veja mais em Saia do Lugar

Dia 22 de março o game designer Marcio Lapin esteve conosco para contar como ele vem desenvolvendo games para corporações e como anda esse mercado no Brasil.

Em nossa conversa Lapin, que é diretor da Virgo Games, nos contou como é a profissão de game designer e pontuou a necessidade de um interesses multidisciplinar para a criação de jogos seja possível e interessante. Afinal games abordam antropologia, tecnologia, cultura geral, marketing, psicologia entre outros ramos das exatas e humanas.

Ainda nos disse que a natureza do game consiste em você ter um objetivo claro e ter que vencer diversos desafios para alcançar esse seu objetivo. Sendo essa a base os games, cada vez mais eles estão sendo usados em corporações para simular situações do dia-a-dia e em treinamentos.

Outro benefício que o game designer nos apontou é que os games permitem uma maior interação entre a equipe e a situação simulada. Criando a virtual sensação de realidade e envolvimento como fato que acontece.

Ainda falando da relação corporações e games entramos no quesito marketing. Como fazer para anunciar dentro de game e quais os modelos de anúncios existem hoje.

Para os interessados em se tornar um game designer a boa notícia é que no Brasil já possível encontrar escolas e cursos profissionalizantes nesta área.

Ficou curioso para saber mais a fundo sobre esses temas e para ouvir as perguntas feitas pelo nosso s telespectadores? Então assista o vídeo acima e passe para a outra fase do jogo. Explore você também o mercado dos games!

Boa sorte!

28 de fevereiro de 2012

Inovação – por Fernando Kimura

Vivemos a era da inteligência social, depois de 20 anos (90/00) onde fomos bombardeados por e-mails marketings, e ligações de call center, iniciamos um novo período.

Depois de 20 anos de e-mail marketing os consumidores não dão mais atenção e este tipo de comunicação, muitas vezes bloqueando ou marcando empresas que enviam este tipo de comunicação automaticamente, reduzindo ainda mais a eficácia deste tipo de comunicação.

Com a entrada das redes sociais e as possibilidades da internet de interagir e comunicar com clientes, as empresas tentam se adequar a este novo cenário.

As empresas/ marcas / produtos sociais, esta é uma das novas ondas das empresas. Ser social e ser sustentável são as 2 chaves básicas para a adequação dos negócios e “aceitação” clientes.

Muitas empresas somente vão na onda e não necessariamente possuem estes 2 pilares como um diferencial/estratégia indo somente na onda dos demais, sem saber como e porquê.

Este é o momento que vivemos, onde a comunicação com a massa parece ser mais fácil, ao mesmo tempo, que os clientes quando não gostam de algo mobilizam milhares de pessoas.

O marketing boca a boca a coisa do passado, os negócios de hoje não podem mais depender somente de um marketing boca a boca.

Neste novo momento social, empresas tentam estar mais próximas de seus clientes sem a frieza do e-mail marketing, sempre de forma descontraída aumentando o relacionamento cliente empresa de forma agradável, e muitas vezes engraçada.

A companhia aérea europeia KLM faz ótimo uso desta estratégia aproximando a empresa e clientes, de forma inteligente e sútil.

Muitas empresas se questionam mas como podemos inovar de fato?

A esta perguntas muitas ao menos chegam a primeira resposta, pois criam a primeira barreira eu não tenho dinheiro para inovar, o que é pura lenda, pois inovação nem sempre esta associada a grandes investimentos.

O que uma empresa pode inovar?

·  Simplificação de processos,

·  Gerenciamento da empresa,

·  Gerenciamento das pessoas,

·  Comunicação/Marketing/comunicação visual

·  Vendas

·  Relacionamento com clientes

·  Embalagem

·  Design

·  Cores

·  Pesquisa ?os diversos fatores que podem ser inovados em uma empresa, e não necessariamente é preciso ter um idéia fora da caixa, muitas vezes aplicar ideias de outros mercados ao seu negocio pode ser uma ótima saída.

Observar tendências e o que concorrentes ou outras empresas estão fazendo, e entender a estratégia que há por trás das ações pode auxiliar no processo de implantação de ideias em uma empresa (Benchmark). O Benchmark, que simplesmente é adequar e aplicar ideias do mercado em sua empresa.

Mas mesmo assim são poucas as empresas (pequenas e médias) que buscam benchmark, e fatores como esses podem decidir a diferença entre uma empresa ou outra, ou o consumidor escolher uma pela outra.

Estar ligado a tendências tb é um maneira de inovar, claro que não conseguimos entender de tudo, o empreendedor deve-se se preocupar com a gestão completa do negócio (pessoas, produtos, pedidos, divulgação, vendas, estoque, financeiro), são tantas as tarefas que ser conectado parece algo muito difícil, mas isso não é bem verdade as vezes uma boa leitura semanal de 1 a 2 horas pode auxiliar a empresa a entender melhor o mercado.

As pequenas e médias empresas morrem de boa vontade! Porque falo isso existe uma grande vontade de empreender, abrir um negócio, um comercio, um site, dos mais variados desde um lava rápido ou pizzaria a uma loja de roupas.

Frente a todas as diversidades e desafios de um negocio inicial, poucas linhas de crédito necessidades de investimentos iniciais, estoque, conquista de clientes… estes são desafios em comum de qq empresa, independe de seu segmento de atuação. Salva raras exceções de negócios novos que surgem já com carteiras de clientes, quando se abrem por oportunidade.

Frente a estes desafios, o empreendedor na maior parte das vezes não observa alguns pontos essenciais para reduzir o máximo possível chances de erros:

·  Tempo e caixa disponível para a manutenção da empresa até que o negócio se mantenha.

·  Não possuem uma estratégia para o negocio bem definida

o Estratégia desde gerenciamento?o Comunicação visual / marketing?o Gerenciamento de pessoas?o Indefinições de linhas de produtos e públicos?o Ou muitas vezes focam muito em um publico sendo que o produto pode ter aderência para diversos

públicos diferentes?o Pouco entendem de finanças, impostos e parte legal/impostos de um negócio

Frente a estes desafios para enfrentar a INOVAÇÃO é esquecida pois não se há tempo para pensar em outras coisas. Porém a inovação tem a capacidade de transformar, produtos, empresas, pessoas e segmentos.?Vou citar alguns exemplos:

Mercado fotográfico – Kodak, centenário e pioneira empresa de fotos, foi a mesma que lançou a máquina digital mas deixou a mesma de lado, os concorrentes lideraram em sua frente. Hoje com o universo fotográfico tomado pelas câmeras digitais, a Kodak enfrenta uma grande crise. Mas porque eu contei esta história, pois ao reverso de toda esta tecnologia criada pelas câmeras digitais, uma tendência (Retro contemporâneo) abriu oportunidade de negócios para diversas empresas, as pessoas estão cansadas de ver fotos em ótima resolução, aplicativos para celulares simulam efeitos de filme em fotos digitais, o que para quem já viu isso é um retrocesso para os demais é um diferencial as fotos.

Mas não são somente os apps para celular que estão lucrando, a LomoGraphy é uma empresa do mercado fotográfico com câmeras fotográficas de filme, em pleno ano 2012 são um sucesso, cada modelo de câmera além do design único, ultra diferente e colecionável trás diferentes efeitos as fotografias.

A marca já possui loja própria em SP e diversas capitais mundiais, e vendem pela internet.

Outro grande exemplo desta tendência (retro contemporânea) são os tênis ALL Star, e os relógios Champion.

Citei exemplo de empresas ligadas nas tendências, do que pode ser diferente para os consumidores atuais.

Estar antenado e essencial para implementar inovação dentro da empresa.

Dicas de como manter-se ligado a tendências:

Consumir conteúdos de revistas de negócios, blogs, twitter, facebook, observar como as grandes empresas estão se comunicando com clientes, observar como os funcionários da empresa utilizam seus produtos e/ou serviços.

Muitas vezes as respostas podem estar dentro de casa, empresas podem criar departamentos ou reuniões de inovação, onde os funcionários podem contribuir com ideias pera a melhoria dos processos, produtos, embalagem etc… além de melhorar o relacionamento empresa funcionário, ou estratégia é contratar consultor de fora para observar o que pode ser melhorado, o que há de erros e oportunidades. Importante de uma consultoria é ter em mente que como uma consulta médica serão observados pontos de melhoria/erro, os remédios são indicados e cabe a empresa aplicar ou não as sugestões fornecidas, a consultoria com uma consulta médica não podem garantir 100% de resultados.

Resultados e retorno, estes são 2 pontos que devem ser observados com critério e as empresas que querem inovar antes de tudo tem que ter coragem de estarem a frente das coisas, e muitas vezes correm riscos. Por exemplo de utilizar novas tecnologias pouco utilizadas, ou de comunicar de forma diferente onde alguns clientes podem não entender. Mas este risco e necessário vale calcular o valor do risco e tentar.

Isso é o que faz a Coca Cola empresa com a marca mais cara do mundo que inova a cada momento, rádio coca cola, latas dos refrigerantes tem realidade aumentada, ações de relacionamento fora da caixa com consumidores, todos estes elementos/ingredientes fazem da Coca Cola líder em seu segmento.

Uma última dica as empresas esqueceram de causar o inesperado nos clientes nos últimos 20 anos, o máximo que os consumidores esperam das empresas é um e-mail marketing, um ligação chata do call center ou pior uma ação em um site de compra coletivas (desespero para vender), dentro desta mesmice as empresas tem a oportunidade de surpreenderem clientes, e surpreender clientes não é uma tarefa tão difícil, para uma pizzaria surpreender pode ser enviar uma sobremesa gratuita para pedidos maiores, para uma construtora enviar um cesta de café da manha para os proprietários do imóvel uma vez que já estão morando do apartamento, a maior parte das empresas só lembram dos clientes no momento da venda, este e um dos grande erros e uma oportunidade de inovar no relacionamento com clientes.

Para finalizar empresas podem inovar em:?Comunicação, tecnologia, marketing de geolocalização, processos, internet, causar o inesperado.

Existem diversos ingredientes que podemos inovar, o importante é tentar sair da mesmice e diferenciar-se de alguma forma nem que seja para alguns clientes inicialmente.

No final de tarde do dia 16/2 recebemos o especialista em mídias digitais Gil Giardelli.

 

Convidamos Gil para conversar e nos explicar sobre ações nas mídias digitais e o que está por vir nessa comunicação mais humanizada entre empresas e pessoas.

Gil Giardelli enfatizou a qualidade dos assuntos compartilhados e identificou na história fatos semelhantes. Como na era de Gutemberg, onde entre vários detentores da imprensa poucos disseminavam informações relevantes.

Conversamos também sobre o futuro e o que já vem sendo produzido no mundo com auxílio das mídias digitais. Comentou a queda do Facebook no Canadá e abriu para nós seus pensamento quanto ao povo brasileiro e sua falta de identidade como nação.

Gil que acabou de chegar de um período de férias e também nos contou como equilibra o online e offline, deixou claro o papel das mídias digitais; conectar seres humanos para juntos produzirem o bem sem saber a quem!

Ainda conversamos sobre hackers e diversas ações feitas no mundo e que se utilizam das mídias sociais.

Ficou interessado nessa aula gratuita sobre inovação e o futuro das mídias digitais? Então assista o programa na íntegra e mande o seu comentário.